Site da USP
PROLAM Programa de Pós-Graduação Integração da América Latina Universidade de São Paulo
Fale conoscoFacebookTwitterGoogle PlusYoutube

O PROLAM

O PROGRAMA, PERSPECTIVAS DE EVOLUÇÃO E TENDÊNCIAS

O Programa de Pós-Graduação Interunidades em Integração da América Latina – PROLAM/USP é temático e interdisciplinar. Compõe-se de professores da Universidade de São Paulo que desenvolvem atividades de pesquisa, docência e extensão sobre os aspectos teóricos e práticos das diferentes dimensões dos processos de integração da América Latina.
A diretriz metodológica é traçada pela Comissão de Pós-Graduação do Programa ao redor de três eixos de investigação na área de humanidades e de ciências sociais aplicadas: SociedadeEconomia e Estado; Relações Internacionais e Práticas Políticas; Comunicação e Cultura. Cada linha de pesquisa, por sua vez, compõe-se de dois projetos de pesquisa, a saber: Comunicação e Cultura – Comunicação na América Latina; e Produção artística e crítica cultural na América Latina; Sociedade, Economia e Estado – Políticas públicas no campo do trabalho, educação e saúde, e Urbanização, metropolização e gestão urbana na América Latina; e Práticas Políticas e Relações Internacionais – Relações e práticas políticas na América Latina; e Relações internacionais.
A missão do PROLAM/USP é produzir conhecimento sobre a realidade latino-americana sob as dimensões social, econômica, política, educacional e cultural por meio de metodologia comparada aplicada a, pelo menos, dois países da América Latina ou sobre uma temática comum aos países da região.
O PROLAM/USP, desde 2015, vincula-se administrativamente à ECA – Escola de Comunicações e Artes. A experiência inter e transdisciplinar da ECA se coaduna perfeitamente com o projeto pedagógico do PROLAM/USP. No contexto dos cursos de pós-graduação, o PROLAM/USP busca o conhecimento inter e transdisciplinar ao congregar as diferentes unidades que o compõem. Além da ECA, a Faculdade de Direito, a de Arquitetura e Urbanismo, a de Filosofia, Ciências e Letras, a de Educação, as de Economia e Administração de São Paulo e de Ribeirão Preto e o Instituto de Psicologia, a EACH – todos da USP. Docentes e discentes de diferentes áreas de conhecimento contribuem decisivamente para que o PROLAM/USP, por meio de suas diferentes atividades, possibilite melhor compreensão dos aspectos multidimensionais da realidade latino-americana.

MISSÃO DO PROLAM /USP

Por um significativo período de sua existência, entre 1988 e 2009, o PROLAM/USP reportou-se diretamente à Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo. A gestão do Reitor Prof. Dr. José Goldemberg criou essa modalidade de Programa de Pós-Graduação com dois objetivos que, até o presente momento, são mantidos.
O primeiro, de caráter de agregação e capacitação de pessoas, visava criar, no âmbito da Universidade de São Paulo, uma instância de reflexão acadêmico-científica (docência, pesquisa e extensão) e formar especialistas na temática da integração latino-americana. Esse espaço de produção de conhecimento sobre a integração da América Latina, no qual a USP apresentava lacuna frente às universidades de excelência do exterior, foi criado sob a perspectiva da área de humanidades e das ciências sociais aplicadas. Além disso, a construção de um espaço institucional com essa finalidade foi motivada também pelas necessidades históricas da região devido à aceleração do processo de mudanças estruturais no fim da década de 1980, dos processos de globalização e de integração regional.
O segundo objetivo, de caráter científico e metodológico, mirava a construção de uma metodologia interdisciplinar para apreender e compreender os processos latino-americanos em seus diferentes campos, econômico, político, social e cultural. As áreas que constituíram o núcleo primordial na formulação das diretrizes do Prolam/USP foram: Direito Internacional – Faculdade de Direito (FD/USP); Economia – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA/USP); Sociologia, Política, Antropologia, História, Geografia e Letras Modernas – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH/USP); Planejamento Urbano e Regional, História da Arquitetura e Estética do Projeto – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU/USP); e Comunicação e Artes – Escola de Comunicações e Artes (ECA/USP). Posteriormente, em 1993, a Comissão de Pós-Graduação do PROLAM/USP aprovou o Departamento de Administração Escolar e Economia da Educação da Faculdade de Educação (FE/USP), em virtude do envolvimento desse Departamento em pesquisas conexas.
Em 2003, a Comissão de Pós-Graduação aprovou o ingresso do Departamento de Economia da Faculdade de Economia e Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEARP/USP), cuja incorporação se deu a partir de 2004, fortalecendo a linha de pesquisa de Práticas Políticas e Relações Internacionais. Em 2008, a Comissão de Pós-Graduação aprovou a incorporação de representante da Escola de Artes, Ciências e Humanidade da Universidade de São Paulo (EACH/USP). E, em 2015, a incorporação do Instituto de Psicologia da USP.
A incorporação administrativa do PROLAM/USP à ECA ocorreu EM 2015, seguindo as novas normas estatutárias e regimentais da Universidade de São Paulo que integra necessariamente os programas interunidades a uma de suas unidades componentes.
Em cada momento, todas as mudanças propostas pela Comissão de Pós-Graduação foram consideradas convenientes e devidamente aprovadas pelas Unidades envolvidas e pelos órgãos superiores da Universidade.

FORMAÇÃO DO PROLAM/USP

O primeiro processo de seleção do PROLAM/USP foi realizado em janeiro de 1989. Contou com a constituição de um corpo docente de 14 (quatorze) Professores Doutores Orientadores, a maioria originária da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, que foram credenciados pela larga experiência sobre o tema da integração latino-americana. Em março daquele ano, com 16 alunos matriculados – entre os quais, três estrangeiros – iniciaram-se as atividades do Programa em nível de Mestrado, sob a coordenação da Profa. Dra. Irlemar Chiampi.
O Curso de Mestrado em Integração da América Latina foi recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior em 1990. A partir de 1992, começaram a ser defendidas as primeiras Dissertações, de acordo com o regimento da USP, que previa, na época, um período de 05 (cinco) anos para completar o curso, com possível ampliação por mais 02 (dois) anos.
A ampliação para o Curso de Doutorado foi prevista em 1993, segundo a Resolução n° 4.014, artigos 12 e 14 da Comissão de Pós-Graduação da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo, datada de 13 de agosto daquele ano, durante a coordenação do Prof. Dr. Sedi Hirano. Em 1996, durante a coordenação da Profa. Dra. Maria Cristina Cacciamali, a Comissão de Pós-Graduação do PROLAM/USP diagnosticou a consolidação do Curso de Mestrado, uma vez que o Programa contava com 40 (quarenta) dissertações defendidas de boa qualidade; inserção positiva dos egressos na comunidade acadêmica e em órgãos públicos e privados; corpo docente permanente e linhas de pesquisa definidas; e número expressivo de publicações de boa qualidade. Diante disso, a Comissão de Pós-Graduação, considerou que o momento era apropriado e deu início à formulação do projeto do curso de doutorado e ao processo de reformulação acadêmico-administrativo para apoiar a dinâmica dos dois cursos.
O documento do projeto do curso de doutorado foi aprovado pela Comissão de Pós-Graduação em maio de 1997, obteve a aprovação do Conselho de Pós-Graduação da Universidade em março de 1998 e, com a realização do primeiro processo de seleção, começou a ser executado em outubro desse mesmo ano. O curso de Doutorado foi recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em 22/09/2000.

A REESTRUTURAÇÃO DOS ANOS DE 1990

O PROLAM/USP, então composto pelos cursos de mestrado e doutorado, exigiu reformulações acadêmicas e administrativas. Essas reformas aceleraram-se a partir de 1998 e foram orientadas para atender às demandas originárias da nova institucionalidade do ensino superior que estava sendo construída para a Universidade, bem como das mudanças estruturais da sociedade brasileira.
Os principais objetivos da reformulação de 1998 consistiram em: elevar a qualidade da produção científica; articular os projetos de pesquisa, provendo maior consistência ao desenvolvimento das linhas de pesquisa; diminuir o tempo de titulação dos alunos, envolvendo-os mais diretamente nos projetos de pesquisa em andamento; e ampliar as interfaces nacionais e internacionais do PROLAM/USP (internacionalização).
Naquele momento, entre as principais mudanças metodológicas, introduziram-se, para cada linha de pesquisa, disciplinas niveladoras (integração horizontal) com conteúdo de conhecimentos básicos e de metodologia. Adicionalmente, a Comissão de Pós-Graduação programou outras medidas e ações, como o incentivo da produção científica e a sua divulgação por meio de veículos reconhecidos pela comunidade científica; o apoio à participação dos docentes e discentes em encontros, seminários e congressos, especialmente, internacionais; a construção de interfaces institucionais com universidades no Brasil e no exterior; a ampliação da participação dos alunos em grupos/projetos de pesquisa do professor orientador para diminuir os prazos de titulação; e a participação em estágios e programas de bolsa sanduíche do corpo discente de doutorado.
As atividades de gestão também foram reformuladas de tal forma a agilizar e dar suporte às atividades acadêmico – cientificas. As principais medidas assumidas reportaram-se a: sistematizar normas e procedimentos internos; operacionalizar rotinas administrativo-acadêmicas; ampliar os recursos de informática disponíveis no PROLAM/USP; aplicar processo permanente de avaliação; e implantar sistema eficaz de fluxo e de registros de documentos e informações.
Seguindo essas diretrizes, e aprofundando as ações administrativas, didáticas e de pesquisa, a comunidade PROLAM/USP, em maio de 2016, compõe-se de: Comissão de Pós-Graduação representadas por seis professores de diferentes áreas e seus suplentes e um representante do corpo discente e seu suplente. O corpo docente é formado de 22 professores permanentes (dentre os quais estão os membros da Comissão de Pós-Graduação) e 6 professores colaboradores; 38 alunos matriculados no curso de mestrado ; 30 alunos no curso de doutorado; e do corpo administrativo de 3 funcionários. Até o presente momento, o PROLAM  titulou 411 alunos ( mestrados e doutorados), sendo 304 mestres e 107 doutores. O Programa vem acolhendo igualmente pós-doutorados.

A avaliação institucional e acadêmica do PROLAM/USP, originalmente, era efetuada pelo Comitê de Avaliação da Área de Sociologia da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES) do Ministério de Educação (MEC). Na avaliação trienal de 2007, o referido Comitê recomendou a mudança de área de avaliação para o Comitê Multidisciplinar, devido a dois motivos.  O Programa não dispunha da estrutura dos cursos de Ciências Sociais, devido ao seu caráter interdisciplinar; e 67% do corpo docente do Programa desenvolveram-se científica e academicamente em outras áreas das Humanidades e das Ciências Sociais Aplicadas.
A proposta de mudança de Comitê de Avaliação para o Comitê Interdisciplinar foi apreciada pelos professores e alunos, e pela Comissão de Pós-Graduação do PROLAM/USP, que a julgou pertinente e adequada, aprovando-a  por unanimidade.  A Pró – Reitoria de Pós-Graduação confirmou a conveniência da mudança.
Assim, partir de 2008, quase vinte anos depois de sua criação, o PROLAM/USP insere-se em espaços institucionais de graduação e de pós-graduação adequados e consistentes com a perspectiva interdisciplinar de sua proposta pedagógica e cientifica na abordagem do tema da integração latino-americana.

CompartilharCompartilhar no FacebookTweet about this on TwitterEnviar por e-mail